Um mapa para a porta do não retorno: notas sobre pertencimento Dionne Brand

uma cartografia subjetiva que reterritorializa a ambivalência da negritude

Artistas e editoras pretas, LGBTQI+, Tradução

Um mapa para a porta do não retorno: notas sobre pertencimento* de Dionne Brand, com apresentação de tatiana nascimento e tradução de Jess Oliveira e floresta, é um livro atemporal que explora a relevância e a natureza da identidade e do pertencimento num mundo culturalmente diverso. Trata-se de um livro poético e sensível sobre descoberta.

Valendo-se de cartografias, viagens, narrativas da infância no Caribe, jornadas pela paisagem canadense, ancestralidade africana, histórias, políticas, filosofias e literatura, Dionne Brand esboça as fronteiras cambiantes de um lar e de uma nação, a conexão com um lugar no Canadá e o mundo além.

O título, Um mapa para a porta do não retorno, faz referência tanto a um lugar na imaginação quanto a um ponto na história: a Passagem do Meio. Neste trabalho, Dionne Brand cria um mapa de sua própria arte e traz uma meditação sobre a negritude na diáspora.

“às vezes sinto que esse livro vai sair voando, como um beija-flor em busca de néctar ou como um mito negro drapetômano em busca de retorno.y voará não por ser um livro leve, o que ele não é; mas talvez por ser um livro negro do jeito que é: triste, muito bonito. acima de tudo onírico.dionne brand talha nessas imaginações y imagens sobre a diáspora negra nas américas (em vários tempos: pré e pós-colonial, o longo pós-colonial de até hoje, acho até que até amanhã) uma cartografia subjetiva que reterritorializa a ambivalência da negritude.”

tatiana nascimento, “refazendodesfazendo uma róta rôta”. Trecho da apresentação de Um mapa para a porta do não retorno: notas sobre pertencimento.

Sobre a autora:

Dionne Brand é poeta, romancista e ensaísta de renome. Seus textos são notáveis pela beleza da linguagem e pelo intenso engajamento com questões de justiça social, incluindo particularmente questões de gênero, sexualidade e raça. Seus escritos já receberam os seguintes prêmios: Governor General’s Award de poesia, Trillium Prize de literatura, Pat Lowther Award de poesia, Harbourfront Writers e Toronto Book Award.

Destacou-se primeiro como uma premiada poeta – e talvez seja até mais conhecida por sua poesia. No entanto, ela também obteve grande distinção e aclamação em poesia, não-ficção e filmes.

Dionne Brand publicou dezoito livros, contribuiu para dezessete antologias, escreveu dúzias de ensaios e artigos e, nos anos 1990, fez quatro documentários para o National Film Board. Foi professora visitante eminente na St. Lawrence University nos EUA e lecionou literatura e escrita criativa em universidades na Colúmbia Britânica e em Ontário. Além disso, ocupou a cadeira Ruth Wynn Woodward de estudos de mulheres na Simon Fraser University.

As credenciais literárias de Dionne Brand são numerosas. Seu último romance, Theory, ganhou o prêmio OCM BOCAS na categoria literatura caribenha em 2019, e figurou entre os melhores do ano no The Globe and Mail. Sua última coletânea de poesia, The Blue Clerk, foi finalista de poesia do Griffin Awards e abocanhou também o Trillium Book Prize. Sua coletânea Ossuaries levou o Griffin Award de poesia, ao passo que outras de suas coletâneas conquistaram os prêmios literários Governor General’s, Trillium Book Prize e Pat Lowther Memorial. Entre seus romances, In Another Place, Not Here foi selecionado como livro notável pelo New York Times e um dos melhores livros do ano pelo The Globe and Mail; At the Full and Change of the Moon foi selecionado como um dos melhores livros do ano pelo LA Times; e What We All Long For ganhou o Toronto Book Prize. Em 2006, Brand recebeu ainda o prêmio do Harbourfront Festival por sua contribuição ao mundo dos livros e da escrita e, de 2009 a 2012, ela foi laureada do Toronto’s Poet. Em 2017, ela foi nomeada para a Ordem do Canadá. Brand é professora na faculdade de inglês e de estudos teatrais da University of Guelph. Vive em Toronto.

*A capa que acompanha a publicação é uma ilustração do trabalho “Aliança por um Mundo Ensolarado ou A Cobra Grande em Rios Livres”, da artista Aline Baiana, feita pelas Terroristas del Amor, com coordenação visual de Rodrigo Martins.

R$ 755 arrecadados
Meta: R$ 21.700 (3.5% alcançada)
19 pessoas apoiando
Tipo de campanha:
pontual
meta livre
Ajude compartilhando:

Recompensas

R$ 10,00 ou +

A Curiosa

Limitado a 49 apoiadores(as).

R$
R$ 10.00 até 44.00

R$ 45,00 ou +

A Econômica

Limitado a 431 apoiadores(as).

R$
R$ 45.00 até 114.00

R$ 115,00 ou +

Escritores Negras

Limitado a 50 apoiadores(as).

R$
R$ 115.00 até 154.00

R$ 155,00 ou +

Combo Sapatonas Negras

Limitado a 50 apoiadores(as).

R$
R$ 155.00 até 199.00

R$ 200,00 ou +

A Grande Leitora Queer

Limitado a 50 apoiadores(as).

R$
R$ 200.00 até 1,049.00

R$ 1.050,00 ou +

Amante d' A Bolha

Limitado a 3 apoiadores(as).

R$
R$ 1,050.00 ou +